Nada nesse espaço é postado apenas por postar. Meu desejo como mulher poeta e formadora de opinião é proporcionar assuntos excitantes, porèm que nos façam pensar um pouco. Prazer é de fato a melhor coisa da vida, mas não é tudo. Bom se fosse. Bom se todos pudessemos apenas nos entregar ao prazer sem limites ou sem consequências. Sinto falta de assuntos excitantes, que possam ler lidos sem preconceito. Bom ler e em poder por a mão onde a leitura fizer latejar. Mulheres também latejam, isso é certo. Mas não dá pra ser irresponsável, não com o outro mas com o próprio corpo, com a própria vida. Nós homens e mulheres fomos feitos a imagem e semelhança de Deus, portanto fomos criados para não ter limites em area nenhuma. Por isso ser: responsável e consciente é um bom aliado do prazer. Para isso nós homens e mulheres vamos ler, nos divertir, nos soltar, por a mão onde latejar; mas sem tirar a mão da CONSCIÊNCIA, sei que é possivel, pois é assim que os convido a viver comigo entre sonhos e delírios. Catiaho Alc.

Seguidores

terça-feira, 31 de julho de 2018

ME TORNEI MULHER OUTRO DIA ( apenas uma introdução para várias outras publicações *solicitadas)

Eu conversava com uma pessoa de expressão na minha vida e Ela me disse que gostaria de que Eu escrevesse mais como Mulher e sobre esse tal Ser Mulher.
Na hora eu não atinei do real significado da fala da pessoa.
Sinceramente, e essa  pessoa vai ficar brava comigo, mas achei ser um pedido de alguém querendo me ver exposta de alguma forma.
Só que não (como aprendi com a Becca).
Então resolvi fazer essa introdução para depois em outras postagens entrar de fato na questão.
Um dia a ficha caiu. 
A realidade esmurrou a minha cara e a minha porta e Eu já Poeta assumida passei a escrever como a Mulher que Sou. 
Meus textos mais intensos são impregnados de sensualidade a flor da pele.
E hoje com meu livro sobre Mulheres já em fase de digitação, pois o escrevi todo a caneta em 2009, agora tenho 90 páginas de digitação.
Agora sim entendo o que aquela pessoa me disse.
Ser Mulher foi algo muito mistificado, muito cobrado e muitíssimo banalizado. 
Eu fui menina até os quarenta e cinco anos. 
Ingênua de pedra e crédula além do necessário.
Meninas não se expõem, não entendem claramente a verdade da vida, elas só vivem sem entenderem o seu papel de Mulher.
As Mulheres tinham (tem e sempre terão) muitos deveres e quase nada de direitos claros.
Exemplos: 
Casar era um tipo de conquista.
Fazer sexo era algo para o prazer do marido. 
Ter filhos era uma condição.
Manter uma casa limpa, arrumada era parte do respirar.
Cuidar, educar e conduzir era uma obrigação pois haviam contas e satisfações a serem dadas ao marido/companheiro e a família de ambos.
Ser calada, impoluta e sem voz era algo indiscutível.
E por aí iam as condições para ser uma Mulher de verdade.
Novamente: Só que não.
Eu ando lendo Simone de Beavoir em o Segundo Sexo e ela conversa e versa por aí.
Mulher que é Mulher SENTE e se EXPRESSA a respeito.
Ela tem opinião e sabe por cada coisa e cada gente em seu lugar, inclusive parceiro, filhos e família no geral. Para cada desses há um compartimento em separado dentro do grande que é Ser Mulher.
Uma vez quando eu ainda era Menina, meu Parceiro de Vida desde meus 18 anos e isso já era 2007, (portanto eu tinha quarenta e cinco anos), Ele me chamou atenção severamente  por algo que nem me lembro o que, eu Menina de tudo abri minha boca a chorar muito magoada. Ele sem nenhum sentimento me disse: Catia, não pense que suas lágrimas me comovem. E saiu me deixando extremamente magoada.
Uma outra vez era início de dezembro de  2009, meu primeiro livro estava pronto, havia chego da gráfica  e pedi que Ele (meu Par), Meus dois filhos e Minha nora que preparassem a Cerimônia de lançamento para o dia 10 de janeiro de 2010 e que fosse surpresa pra mim a programação. 
Eles aceitaram prontamente e eu descansei. Chegou janeiro de 2010 e Eu não via nenhum movimento ou pedido de endereços e de contatos para meus convidados. Mas era surpresa, né? Chegou a semana do lançamento e nenhum movimento, mas era surpresa né? Chegou o domingo da data e nenhum movimento. Meus filho caçula estava viajando em turnê com o Circo, era trabalho e estava justificado. Meu Filho mais velho e Nora passaram aqui indo pra uma festa de aniversario da família da nora, mas era surpresa né? As dezesseis horas eu já estava suando frio, Ele descansadamente assistia futebol na sala com nosso sobrinho. Eu tomei a decisão necessária, me arrumei coloquei o vestido da festa, minha joia para a ocasião, arrumei os livros em uma mala e saí para o lugar do evento que era uma igreja local.  Mas antes de ir pedi que ele não se atrasasse. Lá tive a certeza clara  de que eles nada agiram para o lançamento. Conversei, ajustei e consegui ainda agendar para aquela noite as vinte horas. Me lembro muito bem que ele chegou tão atrasado que eu estava no momento das homenagens e agradecia a Deus por minha Família e seu apoio incondicional a minha carreira de Escritora. Só pra registrar até aquele exato momento não havia um só representante da minha Família ali. A noite foi ótima. Tudo deu certo. Meu livro foi apresentado com público e pompa. 
Por dentro eu estava meia gelada ainda. Passei a noite em dormir e em um estado de choque.
Pela manhã ao café, perguntei ao par o que havia acontecido e ele respondeu que todos esqueceram, de fato. Eu respirei fundo e segui minha vida em frente, entretanto assimilando a lição e uma fala de uma gerente que tive: "Entre vocês e Eu eu serei sempre Eu". 
E uma frase que recebi de presente e a tenho tatuada na Alma: "Nossas asas só crescem quando não cabem mais na gente."
Os dois episódios que narro aqui não são exposição gratuita, estou falando do fato de ter me tornado Mulher, lembram? Pois esses dois acontecimentos: primeiro me mostraram que chorar não visto como sentimento e sim como fraqueza. E segundo o lançamento do meu primeiro livro era uma assunto Meu e eu jamais deveria ter delegado nada a ninguém: a Poeta Sou Eu, a Escritora Sou Eu, portanto Eu que engula as lágrimas e os medos e assuma minhas responsabilidades.
Não culpei ou cobrei meu par ou minha família, eles nada tinham de culpa ou responsabilidade,
 Eu sim. Minha relação com eles continuou a mesma de sempre: Feliz e Contente, são e sempre serão minha família amada. Hoje tenho treze livros meus  lançados e esgotadas as edições.
-Mas em fim o que é esse tel Ser Mulher pra você Catiaho?
E respondo:
-Muita gente acha que menstruar É  que faz uma Mulher.
 Ou que perder o hímen é que faz uma Mulher .
Ou que peito, bunda, vagina e baton fazem uma Mulher.
Ou ainda que fazer sexo é que faz uma Mulher. NÃO É CARAI!
Ser Mulher é cuidar da Própria Vida . É assumir as Responsabilidades com a Gente Mesmo em primeiro lugar. É ter na Vida o que acharmos que deve fazer parte do nosso viver.
Perdi a Ingenuidade e deixei de ser menina no mesmo dia e ao mesmo tempo. Parei de corar a face à toda. Comecei a parar aos poucos de ter medo das pessoas. Descobri que Eu podia tanto errar como a gargalhar e sorrir sem motivo explicito. Tem sido uma libertação maravilhosa. 
"Os" e "As" "bestas"de plantão podem me julgar a vontade porque eu mesma já me absolvi e me absolverei sempre como Mulher livre que Sou.
Hoje Plena Eu cuido muito bem de mim mesma e de lá de 2010 pra cá eu floresci lindamente e continuo florescendo. Porque Nós Mulheres somos Plenas, somos Completas e somos Livres para viver nossa Sensualidade, nossa Sexualidade e a nossa Alegria para nossa própria realização. 
Nos realizamos no nosso próprio corpo do corpo outro sim!, todavia não ficamos esperando feito pedintes que nos façam um carinho, um afago ou que nos respeitem. 
Nós nos respeitamos como Mulher que somos.
Esse não é um debate sobre Ser Mulher. Certo? 
Se alguém Homem ou Mulher discordar, não se preocupe pois já diz Nelson Rodriques: 
"Toda unanimidade é burra."
Então por enquanto é isso.
Bjins entre Sonos e Delírios
CatiahoAlc./Reflexod'Alma
Poesia que consta no  1º Livro Reflexod'Alma de 2010
Um poema de quando Eu deixava de ser menina...

A carne ferve

O peito arfa
A mente viaja
E a boca seca
O desejo permanece
A vontade não cessa
E o gemido foge
O sentido adormece
A respiração des compassa
O corpo se encaixa
Os olhos fecham
E tudo explode
A  calma retorna
O corpo se abandona
Os olhos fecham
O sono chega
A calma vem
CatiahoAlc./Refexod'Alma
Copyright©soempalavras
20512607012

23 comentários:

  1. Acabo de ler, um depoimento de incrível autenticidade e ética moral, de um ser humano que sabe a que veio, o que quer nesse mundo. São pistas valiosas para sermos pessoas íntegras e com autoestima elevada.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Célia, você muito
      gentil e me faz contente
      te-la por aqui.
      Bjins
      CatiahoAlc.

      Excluir
  2. Amiga, te ler é a constatação da evolução de uma mulher, tu, de forma plena, madura e sem ressentimentos falando de si e de seus conflitos, dando-nos uma aula de equilíbrio e maturidade.
    Parabéns.
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Zilani, vamos seguindo adiante
      pois a idade chega e é preciso estarmos bem.
      Bjins

      Excluir
  3. Olá, Cátia!

    Um texto escrito de coração aberto, sem "ses", nem "mas".
    É você se "mostrando" para a sociedade e sobretudo dando ânimo para k todas as mulheres atinjam seu patamar. Gostei mto da sua abertura de espírito.

    O poema está sensualíssimo. Vontade aliviada, dia e noite perfeitos.

    Beijos e excelente dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe Céu, minha mãe foi dessa vida sem dizer a que veio
      pois achava que não tinha direito.
      Tenho uma irmã de 50 anos que segue do mesmo jeito
      e eu eu vejo muitas outras mulheres que apesar
      de toda modernidade seguem assim equivocadamente.
      Mas vamos cada uma de nós: eu e você e as demais fazendo a
      nossa parte.
      Bjins e que bom que você veio.

      Excluir
  4. Gostei de ler esse derramar do coração de uma mulher firme, forte e cheia de garra! Parabéns! bjs, chica

    ResponderExcluir
  5. Mais do que nunca precisamos praticar de verdade o nosso empoderamento. Assumir o que nos foi dado pela natureza: o prazer de ser, viver e se fazer respeitar como mulher, nem melhor nem pior do que qualquer outro gênero, apenas específico e m a r a vi l h o s o!!!
    Sandra May

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Sandra.
      É um direito que todas nós temos
      e seguimos em frente.
      Respeito é a palavra sempre.
      Bjins
      CatiahoAlc.

      Excluir
  6. Bom dia Catiaho!
    Ótima introdução, e por ela sabemos que muita coisa boa vem adiante. O machismo é algo impregnado na sociedade, onde, as mulheres já nascem com uma etiqueta de Dona de Casa. Felizmente isso vem mudando com o passar do tempo. Ainda há muito o que mudar, mas o início foi dado e sua continuidade estamos vivendo.
    Não acho exposição seu relato, sou bem transparente também, oque dizem, ou como somos rotulados jamais ira mudar oque somos. É um belo relato, forte, e a realidade de muitas ainda meninas que certamente vão se inspirar e começar a amadurecer.
    Tu está atingindo o auge da maturidade emocional, e evoluindo (não pare!). Tens um longo e florido caminho a seguir, de sucesso e realizações.
    Parabéns!
    Desejo que seu fim de semana seja de muita paz, luz, amor e harmonia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Welligton,
      Eu simplesmente me calo diante
      desse seu comentário e
      agradeço.
      Bjins
      CatiahoAlc.

      Excluir
  7. Muito belo e sincero depoimento! Penso que antes de homens e mulheres, somos gente...somos alma...e alma não tem sexo, tem sentimentos, emoções, pensamentos, qualidades e defeitos, comuns a ambos os sexos, e somente o respeito permitirá a pacífica convivência. Abraços e boa sorte sempre
    Bíndi e Ghost

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é assim mesmo que eu
      penso e vivo Ghost e Bindi.
      Saber Ser gente é que é a
      formula.

      Bjins
      CatiahoAlc.

      Excluir
  8. Olá, Catiaho, conhecendo esse seu blog hoje, pude constatar, nesse texto, que você expõe belamente o que é ser mulher, é tomar conta de si, com responsabilidade e determinação para sermos felizes. Como diz Simone de Beauvoir, "A mulher não nasce mulher, torna-se!".
    Gostei muito! Esse assunto é quase inesgotável!
    Um beijo, uma ótima semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você veio Tais.
      Adorei a fala de Simone.
      Bjins
      CatiahoAlc.

      Excluir
  9. Querida amiga Cat! Que belo texto onde expõe com tanta franqueza tudo sobre sua vida e maravilhoso jeitinho de ser mulher de verdade!

    Parabéns,amiga poeta.
    Já a sigo aqui também,claro!

    Adorei!

    Estou com problemas para acessar os blogs pelo celular e com pouquíssimo tempo para a Net.

    Postando pouco,sempre que dá.

    Obrigada pela visita e,assim que meu marido se recuperar das 3 cirurgias feitas em fevereiro e março de 2018,tudo voltará ao normal,se Deus quiser.

    Beijos sabor carinho e uma semana com muitas bênçãos!

    Obs: Desculpe a mensagem copiada,mas é o que consigo agora para agradecer quem me visita e comenta.

    Donetzka

    Blog Magia de Donetzka

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Done
      Que alegria você aqui também,
      Eu torço pra sua vida voltar
      a normalidade.
      Bjins
      CatiahoAlc.

      Excluir
  10. Um bonito e tocante texto
    Bjs

    Hoje em Caminhos Percorridos - Há professores do catano!

    ResponderExcluir
  11. Que venham as mulheres, o livro. Ser mulher, com, sem ou apesar de quem quer que seja. Cada um, cada uma autora e protagoniza a poética da própria vida, vida que segue, amadurece, não tarda na lamentação e na espera.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antonio!
      Sou sua fão confessa
      e me alegra muito que tenha aceito
      meu convite.
      Grata de verdade por seu comentário que
      soma.
      Bjins
      CatiahoAlc.

      Excluir
  12. Já deixei comentário na tua última postagem, mas está aqui é maravilhosa, você se expressou de forma límpida, e como foi bela tua evolução, você nos mostrou que todos podem achar o caminho, é só ter ciência de si e passar a existir para si e assim naturalmente existirá para os outros mas não dependerá deles.Parabens

    ResponderExcluir

Nossas Asas só Crescem, quando não Cabe mais na Gente.
Bjins e Abraço
CatiahoAlc. entre sonhos e delírios